Você está em:  Home  /   Biografia

Biografia

O berço:

Philipe e Coutinho Correia nasceu no dia 12 de junho de 1992, medindo 51 cm e pesando 3,1 kg. Caçula de três filhos homens de seu Zé Carlos e dona Esmeraldina, Philipinho, como é chamado carinhosamente pela família, sempre
teve a bola como companheira inseparável. Prova disso é que sua "carreira" começou com apenas seis anos.

A descoberta:

Seu Zé Carlos e dona Esmeraldina, que deixaram a Bahia para criar os filhos no Rio de Janeiro, sempre deixaram Philipinho muito ligado à bola. O mais curioso é que o então menino de seis anos foi descoberto, quem diria, pela avó
de um amigo. Isso mesmo. Depois de uma "pelada" disputada na quadra do condomínio onde morava, no Rocha, Zona Norte do Rio de Janeiro, dona Didi percebeu que o garoto tinha futuro com a bola nos pés e resolveu alertar os
pais sobre o talento do menino.

Os primeiros passos:

Em junho de 1998, seu Zé Carlos seguiu os conselhos da sábia dona Didi e matriculou o filho na escolinha de futsal do Clube dos Sargentos do Rio de Janeiro. Menos de um ano depois, um professor convidou o menino para fazer
testes no time da Mangueira. Em março de 1999, Philipe foi federado para disputar a Liga de Futsal do Estado do Rio de Janeiro. E, mesmo sendo o mais novo do time, ajudou a equipe de Fraldinhas a conquistar o título e ainda
terminou como artilheiro da competição. No mesmo ano o craque foi convidado para trocar de clube e jogar no Vasco.

Chegada no Vasco:

Em 2000, já jogando pelo Vasco da Gama, Philipe conquistou o bicampeonato da Liga de Futsal na categoria Fraldinha e começou a encantar quem prestigiava os jogos da categoria. Com técnica e habilidade acima da média,
começou a ser visto com outros olhos pelos dirigentes do clube.

Nos gramados:

Rapidamente, o sucesso nas quadras levou a promessa de craque para os gramados. E já no primeiro campeonato - um torneio organizado pelo Jornal dos Sports, em 2003 - foi artilheiro e melhor jogador da competição. Nos anos
seguintes, uma sucessão de títulos de campeão carioca: 2004 (sub-12), 2005 (sub-13) e 2006 (sub-14). Além da conquista da 1ª Copa do Brasil sub-17, realizada em 2008.

A camisa 10:

Até 2006, Philipe Coutinho atuava como homem de frente, um atacante nato. Neste ano, no entanto, a comissão técnica do Vasco resolveu recuar o então goleador para o meio-campo. E então começou a intimidade com a camisa
10. Jogando mais recuado, passou a ser o armador da equipe e se destacar ainda mais. Em pouco tempo, o agora camisa 10 e armador das jogadas se transformou no maior destaque da equipe.

A amarelinha:

A mudança deu certo e logo vieram as primeiras convocações para defender a Seleção Brasileira. E os títulos. Ainda em 2006, Philipe ajudou o Brasil a conquistar o Torneio Internacional da Espanha na categoria sub-14. No ano
seguinte, o bicampeonato do mesmo torneiro, desta vez pela seleção sub-15. E 2007 foi também o ano da conquista do título mais importante da carreira até então: o Sul-Americano sub-15. Em 2008, já como juvenil, novas convocações
e títulos. Em março, ajudou o Brasil na conquista do Torneio Internacional da Espanha. E, em dezembro, foi campeão do Torneio Nike International Friendlies.

Profissional:

A chegada aos profissionais aconteceu antes do que esperava. Em setembro de 2009, com a chegada do técnico Renato Gaúcho, Philipe Coutinho foi integrado ao elenco. Treinando com as principais estrelas do grupo e ainda
jogando na categoria juvenil, o craque foi se adaptando à mudança. E, em 2009, já iniciou a pré-temporada junto com os profissionais.


A ida para a Europa
No dia 19 de julho de 2010 Philippe Coutinho foi apresentado oficialmente como jogador da Internazionale de Milão. Começava ali sua carreira europeia. E o jovem talento brasileiro não demorou para conquistar seu primeiro título. Logo em 27 de agosto, na final da Uefa Super Cup, a Inter, então campeã europeia, enfrentou e derrotou por 2 a 0 o Atlético de Madri, campeão da Liga Europa daquela temporada. No início de 2012, Philippe foi emprestado para o Espanyol e conseguiu ser destaque da equipe nos seis meses em que disputou o Campeonato Espanhol.
De volta a Internazionale para disputar a temporada 2012-13, Philippe Coutinho permaneceu no Clube Italiano até janeiro de 2013.

Mudança para Liverpool

Em janeiro de 2013, Philippe Coutinho fez as malas e partiu para um novo desafio em sua carreira. Contratado pelo Liverpool FC, o meia deixou a Itália e desembarcou na Inglaterra para jogar em um dos campeonatos mais competitivos do mundo. Coutinho recebeu a significativa camisa 10 do clube e causou impacto imediato na equipe. Elogiado por seu treinador e companheiros, Coutinho se firma cada vez mais como um dos grandes nomes do Liverpool